Qual a maneira certa de tomar gin? – BullHof

Produtos destinados a maiores de 18 anos. | Frete Grátis Sudeste em pedidos acima de R$250

Qual a maneira certa de tomar gin?

Qual a maneira certa de tomar gin?

Qual a maneira certa de tomar gin?

Super em alta nos sentidos da procura e da degustação propriamente dita, o gin é uma das bebidas alcoólicas que mais e melhor demandam uma “forma certa” de degustação. Logo em primeiro plano, isso confirma que a bebida passou por diferentes processos de experimentação ao longo dos anos. 

Por falar nisso, também se faz necessário pontuar que, entre os anos de 2015 e 2016, por exemplo, a comercialização da bebida bateu recordes estratosféricos no Brasil e mundo afora. Em alguns casos, marcas conseguiram produzir até 900 mil litros da bebida, o que é considerado um índice absurdo em locais onde outros produtos, como vodkas e cervejas, predominam no mercado.

Também em razão desses detalhes, fizemos questão de separar algumas sugestões para que, a partir de agora, você, apaixonado pela bebida, a deguste de maneira única, ímpar e exclusiva. Vamos nessa?

Porcentagem de teor alcoólico

Antes de dar aquela famosa “bebericada”, que tal saber que o gin possui um teor alcoólico que gira em torno dos 44%? Pois é! Por mais que este número possa chegar até um pouco mais, batendo a casa dos 57%, nunca é demais frisar que a complexidade de aromas faz do gin uma bebida bastante especial em termos de degustação.

No caso de alguns fabricantes, o produto acaba contando com 12 botânicos em sua fórmula, botânicos estes que podem flutuar entre imbiriba, puxuri, caju e outros. No exemplo da BullHof, a linha “Minha Marie Classic” possui 15 botânicos.

Tônicas e copos

No momento da experimentação, outros fatores que interferem na degustação do gin acabam ficando por conta da marca da água tônica que acompanhará a bebida e também do copo em que ela é servida. 

No caso, águas tônicas com botânicos devem ser preferidas em relação às tradicionais. Como os níveis de gás podem ser diferentes de um caso ao outro, acrescentar outros ingredientes à bebida pode ser mais do que bem-vindo. Algumas águas tônicas feitas com caju, por exemplo, são capazes de conferir um toque especialíssimo ao preparo do gin perfeito. Na hora da degustação, isso normalmente protagoniza uma diferença e tanto. 

Além disso, outras dicas importantes oferecidas pelos especialistas no assunto dizem respeito ao uso de copos com bocas mais largas, que são aqueles que permitem apreciar melhor os aromas da bebida. Gelos maiores também são indicados para que o gin não fique aguado de maneira pura e simples.

Temperatura

Finalizamos este artigo falando a respeito de um dos assuntos mais relevantes quando da experimentação de gins com alto padrão de qualidade: a temperatura. Assim como acontece com as vodkas de uma maneira geral, as garrafas de gin também devem ser colocadas no congelador para que seu consumo aconteça sobre uma bebida mais cremosa e licorosa.

No caso, a boa diferença entre uma e outra experimentação reside na ideia de que, no exemplo do gin, a bebida faz com que sabores e aromas se aflorem ainda mais à medida em que a temperatura torna a subir após um período no congelador.

Para saber mais, entre em contato com a BullHof e conheça suas opções em gins!

Postagem anterior
Postagem seguinte
Fechar (esc)

Popup

Use this popup to embed a mailing list sign up form. Alternatively use it as a simple call to action with a link to a product or a page.

Verificação de idade

Ao concordar e entrar em nosso site, você confirma que é maior de idade e pode consumir bebidas alcóolicas.

Buscar

Carrinho

Seu carrinho está vazio no momento.
Comece a comprar